Como tudo começou

25/02/08

DRAGOEIROS NO JAMOR

Um destes dias ao fazer uma caminhada no magnífico espaço do Jamor, encontrei dois centenários(?) e majestosos Dragoeiros.
Curiosamente em Tenerife, por exemplo, um dos pontos de visita obrigatórios para os turistas é justamente o "El Drago".
Atenção entidades! Tomem muito cuidado com estes dois belos exemplares! Façam-lhes a protecção devida e merecida.
A comunidade agradece, a História e o Planeta também.


Fica entretanto a explicação obtida na Wikipédia, do que é um Dragoeiro:
A Dracena draco, mais conhecida por Dragoeiro, é uma planta originária da Macaronésia. O dragoeiro pertence à classe Liliopsida, ordem Asparagales, família das Ruscaceae (Dracaenaceae), sendo nativo dos arquipélagos atlânticos das Canárias, Madeira e Açores, e localmente da costa africana vizinha. Pode atingir centenas de anos de idade, produzindo árvores de grandes dimensões. Apesar de comuns e muito apreciados como plantas ornamentais em jardins nestes arquipélagos, o dragoeiro encontra-se vulnerável no estado selvagem devido à destruição do seu habitat. A sua abundância pode variar entre o relativamente comum nas Canárias a extremamente raro na ilha da Madeira.
FC

7 comentários:

Gione disse...

Estamos sempre a aprender :)

M.A.R. disse...

Não esquecer que existe igualmente um dragoeiro junto do portão de entrada do Palácio Ribamar,em Algés.
m.a.r.

Fatima disse...

Gi ainda bem que gostaste.
Amélia, o de Algés, apesar de tudo está bem protegido. Estes parecem-me completamente ao abandono.....

Anónimo disse...

Todas as árvores merecem a minha admiração, o dragoeiro é uma das mais magestosas, a Fátima tem de saber que os que estão na Quinta da Graça estão em vias de desaparecer ou irem para outro local, como aconteceu com as lindas palmeiras da Calç. de Sta Catarina. Segundo informações que tive daquele local, vai haver intervenção do Estádio. Temos de agir. Francisca

Fatima disse...

Parece que o dragoeiro de Algés e os do Alto da Boa Viagem estão tristes, por não terem sido vedetas neste post. Procurarei colocá-los aqui oportunamente!

M.A.R. disse...

Ainda não fui contactada por esse outro dragoeiro. Pelo que está no Palácio Ribamar claro que sim, já ouvi dele as suas queixas.
Consta-me, porém, que já terá até sido organizada uma "Marcha de Protesto dos Dragoeiros Descriminados" que aparecerá qualquer dia pelas bandas de S.Domingos de Rana!

Isabel Magalhães disse...

Vim 'Em busca dos Dragoeiros 'perdidos' do concelho de Oeiras'! :)))

Por acaso conheço estes, ficam no caminho das minhas passeatas 'caninas' diárias e conheço o do Palácio Ribamar. Pensava mesmo que seriam dois como escrevi no Oeiras Local.

[[]]

I.

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização