Como tudo começou

31/08/11

MOCHOS E CORUJAS



Uns e outras são aves de rapina nocturna e pertencem à ordem das Srigiformes e ainda à família das Strigidae. Ao que parece, pelo que pesquisei, não há uma grande diferença entre mochos e corujas e os hábitos de vida que têm são, também, quase os mesmos.
Recebi este vídeo com um conjunto de fotos destas duas espécies e, por ter considerado que os leitores poderiam gostar de ver essas imagens resolvi trazê-las ao blog. Oxalá sejam do vosso agrado.



video

Contudo, se pretenderem informação mais pormenorizada queiram clicar aqui.
Até breve.
M.A.

29/08/11

AS CRIANÇAS CONTINUAM SENDO O MELHOR QUE O MUNDO TEM




Marta, a minha neta mais nova tem nesta altura oito anos e mostra-se sempre interessada em tudo que para ela constitua novidade.
Dias atrás, o fenómeno da morte tocou-a na pessoa da avó dos seus primos, senhora que, pela proximidade e convivência que ia existindo na família, adoptou a Marta como se sua neta fosse também. Se era a “Avó Ana” para os netos verdadeiros… extensivo ficou, também, o mesmo tratamento, para a Marta, desde muito pequenina.
Porque o meu filho e nora não quiseram deixar de falar à miúda no falecimento da Avó Ana e tendo ela manifestado o desejo de ir ao funeral, eles acederam, por entender que seria a oportunidade de, pela primeira vez, ela tomar contacto com esta triste realidade e com o cerimonial próprio.
Assim, com alguma surpresa minha vi chegar pai e filha ao local do velório.


Após os cumprimentos, a garota sentou-se ao meu lado, iniciando-se pouco depois, entre nós, em surdina, o seguinte diálogo:
_Sabes avó, eu queria trazer uma flor à Avó Ana mas, como o pai vinha já atrasado, prometeu-me que depois íamos levar uma, àquele sítio - não me lembra o nome - para onde depois levam a Avó Ana…
_Mas - perguntei eu - se calhar, tu gostavas mais de ter agora a tal flor, não era?
Ela abanou afirmativamente a cabecita e eu, sorrindo, disse então:
_Deixa, que eu vou ser capaz de resolver já esse assunto…Como eu trouxe flores para a Avó Ana, vou alí buscar uma delas para ta dar a ti.
Levantei-me, fui retirar um botão de rosa, branco, ao ramo que levara e entreguei-o à miúda que, de seguida, em bicos de pés o foi deixar sobre o caixão.
Mais tarde, já reunidos num cemitério de aldeia, a atenção da garota manteve-se constante, durante as orações finais e a descida do corpo à terra .
Tudo decorria serenamente, sem cenas emotivas susceptíveis de perturbarem a criança.
Distanciadas uns dois ou três metros de nós, as flores retiradas do auto fúnebre, esperavam em monte, o destino final.
Em dado momento, a Marta afastou-se em direcção a elas, olhou, estendeu a mão e, sem precisar de andar à procura, logo encontrou o seu botão de rosa, trazendo-o consigo. Ficou com ele seguro, enquanto com a outra mão afagava as pétalas brancas.
Quando já tinham sido depostas as flores sobre a campa, encaminhou-se para lá deixando, finalmente, o seu botão de rosa no cimo de todas as outras. A Avó Ana, por muito distraida que estivesse, não deixaria de ver aquela em primeiro lugar!.....

Faço aqui um parêntesis para explicar que, na Avó Ana, conheci sempre uma santa alma, incapaz de magoar ou ofender quem quer que fosse, manifestando sempre, além disto, o que geralmente denominamos por uma bondade sem limites.
Acredito que lá no Além, onde agora se encontra em Paz, a Avó Ana terá recebido, inteirinha, no seu coração, a homenagem tão cheia de pureza e simplicidade desta criança. Penso não ter exagerado em dar o título que dei a este post.
P.S. –Não foi a primeira vez que falei desta neta aqui no blog. Se quiser recordar o que dela já foi dito faça-o aqui, aqui e aqui.
M.A.

27/08/11

A FILOSOFIA DO FRASCO DA MAYONNAISE




Quando achardes as coisas que acontecem na vida a pesar demasiado, quando as 24 horas do dia parecerem insuficientes para levar a cabo todas as tarefas que tendes para fazer, talvez ajude a lembrança deste frasco da mayonnaise.


Um professor, começou a sua aula de filosofia pegando num frasco grande, de mayonnaise e, sem dizer uma palavra, esvaziou-o e encheu-o com bolas de pingue-pongue.

A seguir perguntou aos alunos se o frasco estava cheio. Os estudantes responderam afirmativamente.

Então, o professor pegou numa caixa cheia de caricas e meteu umas tantas no frasco. As caricas logo encheram os espaços vazios entre as bolas de pingue-pongue.
O professor voltou a perguntar aos alunos se o frasco estava cheio, e eles, de novo responderam que sim.

Desta vez...o professor pegou noutra caixa...esta cheia de areia e esvaziou-a para dentro do frasco. Claro que a areia ocupou todosos espaços vazios e, uma vez mais, o professor perguntou se o frasco estava cheio. Os estudantes voltaram a responder, em coro, que sim.

Nessa altura o professor acrescentou duas chávenas de café ao conteúdo do frasco e logo o líquido preencheu todos os espaços vazios entre a areia, caricas e bolas. Os estudantes, nesta ocasião começaram a rir...mas, o professor manteve-se sério e calado. Só passados uns instantes a sua voz se fez ouvir:

_Quero que se dêem conta que este frasco pode representar a vida. As bolas de pingue-pongue são as coisas importantes, como sejam a família, os filhos, a saúde, os amigos, tudo o que vos apaixona. São coisas que, quando as conseguimos conservar, ainda que tudo o resto se perca, preenchem a nossa vida e ela continuará cheia. As caricas são outras coisas que igualmente importam, tais como: o trabalho, a casa, o carro, etc. A areia simboliza tudo o resto, isto é, as pequenas coisas. Assim, se colocamos a areia no frasco, em primeiro lugar, já não sobrará espaço para as caricas nem para as bolas de pingue-pongue.O mesmo acontece na vida. Quando desperdiçarmos todo o nosso tempo e energia com ninharias não teremos espaço, depois, para as coisas realmente importantes. Primeiro que tudo dêem atenção às coisas que são cruciais para a vossa Felicidade. Estabeleçam as vossas prioridades e…o resto é só areia!

Neste momento um dos alunos levantou a mão e perguntou: _E o que representa afinal o café?Sorrindo, o professor respondeu:
_Bom…o café aparece aqui para demonstrar que, mesmo estando a vossa vida extremamente ocupada devereis sempre reservar algum tempo para um café e uma conversa amena com um amigo!

Engenhosa a forma encontrada pelo professor para, levar os seus alunos a reflectirem e decidirem sobre algumas normas que os poderiam ajudar nas suas vidas.


Até breve, leitores. Esta história apareceu-me num e-mail e achei interessante partilhá-la convosco.

M.A.

25/08/11

RELEMBRANDO O ESCUDO




«O escudo foi criado em 22 de Maio de 1911, cinco meses após a Proclamação da República, por decreto do Governo Provisório. O ministro das Finanças era, então, José Relvas. A nova moeda renovou o sistema monetário português, colocou a unidade monetária portuguesa ao nível das dos outros países e evitou as desvantagens práticas do real (moeda da monarquia), cujo valor era muito pequeno, o que obrigava ao emprego de grande número de algarismos para representar na escrita uma quantia. Assim, a taxa de conversão foi fixada em mil réis (reais).»


Este é o começo de um interessante artigo, intitulado “A HISTÓRIA DO ESCUDO”, que eu encontrei na net e que o leitor ficará também a conhecer na íntegra, se decidir aceder ao convite de clicar aqui.


Não foi assim há muito tempo que passamos a usar como moeda o Euro, em substituição do Escudo mas, todos nos recordaremos ainda, da perturbação que esta mudança provocou, especialmente em pessoas de mais idade e, talvez por isso, menos capacidade de adaptação. Depois, como geralmente acontece, “o hábito foi fazendo o monge” e, a pouco e pouco, todos passaram a usar a nova moeda sem inibições de maior, muito embora ainda não se tenha perdido o jeito, de fazer mentalmente, uma vez por outra, a conversão entre as duas moedas, para melhor calcular o custo de uma compra que se faça.




video



Esta minha conversa com o leitor tem, por fim, fazer a apresentação de um interessante vídeo que me chegou num e-mail, e que mostra, a par e passo, a sequência das diferentes séries de moedas, múltiplos e submúltiplos do escudo que, durante anos, circularam no nosso país.

Penso que todos irão gostar de as recordar.
Fiquem bem.
M.A.

23/08/11

FRASES DIVERTIDAS




Ora vamos lá a descontrair um pouco com estas tantas frases onde reina um certo sentido de humor:

-Errar é humano mas, achar em quem colocar a culpa mais humano é ainda.
-Afinal você não é completamente inútil…pelo menos até serve de mau exemplo!
-O dinheiro não traz felicidade – isso diz quem não sabe o que fazer com ele
-Se você não é parte da solução é, pelo menos, parte do problema.
-A suprema felicidade da vida é a convicção de ser amado por aquilo que você é, quando será melhor pensar antes, apesar daquilo que você é.
-O importante não é saber mas sim ter consigo o número de telefone de quem sabe.
-Pobre, só anda em frente quando tropeça!
-As coisas boas ou são pecado ou dizem que fazem mal à saúde!
-Quem sabe, sabe. Quem não sabe… é chefe.
-É bom deixar a bebida mas convém lembrar-se onde ela ficou.
-Beijo não mata a fome mas… abre o apetite!
-Trabalhar nunca matou ninguém mas, pensando melhor para quê arriscar?
-O dinheiro traz amigos mas a desgraça faz uma escolha neles, só deixando os verdadeiros.
-A esperança e a sogra são as últimas a morrer.
-Não cobiçar a mulher do próximo…muito em especial se o próximo estiver por perto.
-Há duas palavras que abrem muitas portas: PUXE e EMPURRE.
-Não leve a vida tão a sério... afinal você não vai sair vivo dela!
-Adoro o trabalho. Sou capaz de ficar horas seguidas olhando para ele.
-Política é a arte de arrancar dinheiro aos ricos e votos aos pobres, com o pretexto de protegê-los uns dos outros.
-A vida é comparada a um banho quente. Quanto mais se fica nela mais enrugados nos tornamos.
-Não mando a minha sogra para o inferno porque… tenho pena do diabo!

Sorriram um pouco? Oxalá assim tenha acontecido.

M.A.

21/08/11

ANTIGOS COMBOIOS DA LINHA DO TUA



Convidamos os nossos leitores para mais um regresso ao passado. Desta vez as “ relíquias” a mostrar, serão algumas composições ferroviárias que circularam na Linha do Tua. A maioria das imagens refere-se à década de 70 e apenas umas poucas são dos anos 90.



video


Se aos leitores apetecer também entrar numa carruagem para um passeio nesta linha, saber mais um pouco da sua história e apreciar as lindas paisagens do percurso, queiram clicar aqui e aqui, para acederem a uma reportagem feita pela RTP nos anos 80.
Boa viagem e até breve.
M.A.


19/08/11

PÊNDULOS ONDULANTES – UMA DANÇA DA FÍSICA



Este vídeo é simples mas bonito.

A Universidade de Harvard mostra quinze pêndulos de comprimento crescente a balançar para lá e para cá. Às vezes, eles parecem estar em sincronia, outras vezes, não.

Aqui está a explicação:

O período de um ciclo completo da dança é de 60 segundos. O comprimentodo pêndulo maior foi ajustado de modo que ele executa 51 oscilações no período de 60 segundos. O comprimento de cada pêndulo, sequencialmente menor, é cuidadosamente ajustado de forma que ele executa uma oscilação adicional nesse período. Assim, o 15º pêndulo (o menor) executa 65 oscilações. Os 15 pêndulos, que iniciam as oscilações ao mesmo tempo,depressa deixam de estar em sincronia. No entanto, após 60 segundos de oscilações, todos eles estarão de volta à sincronia, prontos para repetir a dança.


video



Este aparelho foi construído por Nils Sorensen, baseando-se num desenho publicado por Richard Berg da Universidade de Maryland. Se pretende obter mais dados sobre este assunto apenas terá que clicar ">aqui.
Obrigada ao amigo F. Andrade que me enviou este e-mail e, por eu achar a experiência interessante resolvi partilhar com os leitores.
M.A.


17/08/11

SERÁ QUE ENCONTREI O MÉDICO QUE VOS CONVEM?




Nas nossas cxs. de nosso correio electrónico aparece, quase diariamente, a informação mais variada: São os remédios caseiros, são dicas sobre saúde, beleza, ou culinária, são chás que fazem bem a isto, ou aquilo, ou talvez… a coisa nenhuma, são frutos ou vegetais onde nos afirmam estar escondido um abecedário inteiro de vitaminas, que nos farão viver 100 anos, são máximas, pensamentos, orações, etc. etc.. Isto, para não referir também aquelas milhentas “cadeias” que chegam com aviso de “envio obrigatório” a várias outras pessoas, sob pena de não nos vir parar às mãos, ao fim de x dias, a sorte grande ou, no mínimo dos mínimos, uma “excelente notícia de que há muito nós estávamos à espera”! A foto que junto é, justamente, uma alusão bem humorada a este último exemplo.




Ora, esta conversa toda, serve de introdução a um e-mail recentemente recebido, que me divertiu e, portanto, decidi partilhar convosco aqui no blog. Tempo de férias é para descontrair, lendo coisas que disponham bem.
Trata-se do excerto de uma entrevista com um tal Dr. Paulo Ubiratan, de Porto Alegre que, a existir realmente, será um clínico sui generis, senhor de uns conceitos médicos, a meu ver, um tanto ortodoxos.
Questionado o dito senhor, por uma TV local, sobre vários conselhos que, por norma, são dados às pessoas, vejam os leitores o teor das respostas que ele terá dado:


Pergunta: Exercícios cárdio-vasculares prolongam a vida, não é verdade?
Resposta: O seu coração foi feito para bater uma determinada quantidade de vezes e só…não desperdice essas batidas em exercícios. Tudo se gasta eventualmente. Acelerar o seu coração não o vai fazer viver mais: isso será como dizer que pode prolongar a vida do seu carro dirigindo mais depressa. Quer viver mais? Faça uma soneca!!!
P: Devo cortar a carne vermelha e comer mais frutas e vegetais?
R: Você precisa entender a logística da eficiência…O que come a vaca? Feno e milho. O que é isso? Vegetal. Então, um bife, nada mais é do que um mecanismo eficiente de colocar vegetais no seu sistema. Precisa de grãos? Coma frango!
P: Devo reduzir o consumo do álcool?
R: De jeito nenhum. Vinho é feito de fruta. Brandy é um vinho destilado, o que significa que tirando a água da fruta você tirará mais proveito dela. Cerveja também é feita de grãos, portanto pode beber.
P: Quais são as vantagens de um plano regular de exercícios?
R: A minha filosofia é… se não sente dor, tudo bem!
P: Frituras são prejudiciais?
R: Você não me está a escutar. Hoje em dia as comidas fritam-se em óleo vegetal. Na verdade ficam impregnadas de óleo vegetal. Então como pensar que vegetal pode ser prejudicial?
P: Flexões ajudam a reduzir a gordura?
R: Absolutamente não. Exercitar um músculo faz apenas com que ele aumente de tamanho.
P: Chocolate faz mal?
R: Tá maluco? Cacau!!! Outro vegetal!!! É até uma comida boa p’ra se ficar feliz.
E lembre-se, a vida não pode ser uma viajem para o túmulo, de se chegar lá são e salvo, com um corpo atraente e bem conservado. É melhor enfiar o pé na jaca – Cerveja numa mão -Tira gosto na outra – muito sexo e um corpo completamente gasto, totalmente usado, gritando: VALEU! QUE VIAGEM!!!

P.S. SE CAMINHAR FOSSE SAUDÁVEL, O CARTEIRO SERIA IMORTAL!
-BALEIA NADA O DIA INTEIRO, SÓ COME PEIXE, SÓ BEBE ÁGUA E É GORDA!
-COELHO, CORRE, PULA E VIVE 15 ANOS. TARTARUGA NÃO CORRE, NÃO FAZ NADA E VIVE 450 ANOS.


E pronto leitores, divertiram-se? Tirem, agora, as vossas conclusões e, decidindo ou não, seguir estas normas de vida façam, sobretudo, umas boas férias!
M.A.

15/08/11

RESPEITO E CARINHO PARA COM OS ANIMAIS



Férias, para os humanos significam tempo de lazer, descontracção e bem estar enquanto que, para alguns animais domésticos, nomeadamente cães e gatos é a época do ano em que são deixados ao abandono, sem dó nem piedade. Não dá para entender a desumanidade da gente que assim se descarta dos bichos que tem em casa!


Já vos contei, em 2008, a história da Zara e do Sting, dois canitos que vieram do Alentejo depois de resgatados de um caixote do lixo onde haviam sido deixados, recém-nascidos, com mais cinco irmãos, para morrerem à fome e ao frio. Este, foi um dos poucos episódios em que “a fada madrinha dos quatro patas” estava por perto e, com a sua varinha de condão interferiu para que aparecessem donos, julgo que para todos eles. Desta vez, o que começou mal veio a resolver-se. Pelo menos estes dois mencionados vos posso dizer que estão cheios de vigor e alegria e correspondem, com uma dedicação sem limites, ao carinho que os donos lhes dispensam. Sou testemunha disso e, frequentemente, usufruo também, do prazer das suas traquinices. Se quiser recordar os pormenores desta história só têm que clicar aqui e aqui.

Hoje trago dois outros exemplos em que fica, bem expresso, o respeito tido pelos humanos, desta vez em relação a dois casais de passarinhos que escolheram fazer o ninho em locais pouco usuais.
Na primeira imagens, um soldado mostra a cena com que deparou ao abrir o capot do seu carro, deixado estacionado, pelo menos o tempo suficiente para um casal de passarinhos aí instalar o seu lar. O ar sorridente do militar faz-nos acreditar que vai mesmo esperar que as crias cresçam e se vão embora para, só então, voltar a usar o veículo.


Na segunda foto, também um casal de aves escolheu fazer o ninho num lugar pouco convencional, um recipiente de rua, destinado a recolher pontas de cigarro. Desta vez, alguém se preocupou mesmo em colocar um aviso no dito recipiente:
POR FAVOR NÃO USE ESTE CINZEIRO. PRESENTEMENTE HÁ “PEITOS AZUIS” NIDIFICANDO AQUI E AGRADECÍAMOS QUE COLOCASSE O SEU CIGARRO NO RECIPIENTE ABAIXO.
São situações destas que nos fazem acreditar que, no mundo conturbado onde vivemos, nem tudo está perdido. Pontualmente, ainda surgem sentimentos de solidariedade que se manifestam por seres como estes, sem dúvida os mais fragilizados.
Boas férias, leitores e, por favor, não permitam que os vossos animais domésticos conheçam e sofram as agruras do abandono.
M.A.

13/08/11

A ARTE DA LIXEIRA LANÇADA SOBRE O NOSSO PLANETA




O post que trago hoje não precisa de grande apresentação.

Facilmente será compreendido por quem veja as imagens e, a nossa intenção é, mais uma vez, alertar para a responsabilidade de cada um de nós em preservar, tanto quanto possível, o mundo que agora habita e irá deixar aos vindouros.
Salientamos, também, a criatividade de quem com objectos tão banais consegue arte com esta qualidade.


video



Assim, ao mesmo tempo que vos poderei levar a reflectir sobre o grave problema da poluição, espero também ter proporcionado algum prazer para os vossos olhos.
Ate breve. M.A.

11/08/11

O EMPACOTADOR DE SABONETES

DIFERENÇA ENTRE INTELIGÊNCIA E ENGENHO


Em 1970, um cidadão japonês enviou uma carta a uma fábrica de sabonetes de Tókio, reclamando ter adquirido uma caixa de sabonetes que, ao ser aberta, estava vazia.

A reclamação colocou em marcha todo um programa de gestão administrativa e operativa; os engenheiros da fábrica receberam instruções para desenhar um sistema que impedisse que este problema voltasse a acontecer.

Depois de muita discussão, os engenheiros chegaram à conclusão de que o problema tinha sido na cadeia de empacotamento dos sabonetes, onde uma caixita, em movimento, não foi cheia com o sabonete respectivo. Por indicação dos engenheiros desenhou-se e instalou-se uma sofisticada máquina de raios "X" com monitores de alta resolução, operada por dois trabalhadores, encarregados de vigiar todas as caixas de sabonete que saíam da linha de empacotamento para que, dessa maneira, se assegurasse que nenhuma ficaria vazia. O custo dessa máquina superou os 250 000 dólares.

Quando a máquina de raios "X" começou a falhar ao fim de cinco meses de estar a funcionar nos três turnos da empresa, um trabalhador da área de empacotamento, pediu emprestada uma potente ventoinha e, pura e simplesmente apontou-a na direcção da parte final da passadeira transportadora. À medida que as caixinhas avançavam nessa direcção, as que se encontravam vazias saíam voando da linha de empacotamento, por estarem mais leves.
(Recebido num e-mail)
M.A.

09/08/11

Romaria da Senhora da Agonia 2011




Eu sei que querem ir a esta grande romaria, mas que faltava o programa.







fc

07/08/11

LISBOA VISTA DO AR, AO AMANHECER

A Baixa Pombalina


Quando, regressados de qualquer viagem de avião, nos aproximamos do aeroporto de Lisboa, penso que é comum a qualquer de nós uma certa emoção ao sobrevoar a nossa capital.
Instintivamente, somos levados a descobrir e identificar do ar este ou aquele monumento, edifício, rua ou, até talvez, a zona e a casa em que habitamos.
Assim, peço aos que me lêem que cliquem aqui para poderem recordar ou, quem sabe, ver pela primeira vez, como é uma chegada aérea, a Lisboa, ao amanhecer, ainda com as luzes da noite acesas.

Imaginar-se-ão instalados no cockpit do avião, com uma visão magnífica do exterior e verão como se processa a sua aproximação à pista e, depois já no solo farão a circulação até ao local do desembarque dos passageiros .

Apenas faltou ouvir a salva de palmas com que é costume saudar-se o termo feliz de qualquer viagem e que constitui como que um cumprimento e agradecimento à tripulação que nos conduziu.
O meu obrigada ao amigo P.P., que me enviou este vídeo. Espero que tenham gostado.
M.A.
.

05/08/11

Casa das Ratas - Tomar



Casa das Ratas embora possa parecer estranho, é o nome de uma adega típica de Tomar.



O espaço, era um antigo armazém de cereais, onde existiam muitos ratos (daí a denominação) e foi transformada em adega. O espaço, decorado a preceito, mantém o ambiente rústico de uma tasca do princípio do século XX e ainda hoje, já com novos proprietários, continua a ser um local de culto em Tomar



A comida é agradável e o ambiente tranquilo.



Veja aqui algumas imagens do espaço, e visite. O Pedro Oliveira é um bom anfitrião!


fc

03/08/11

EX-SURFISTA FOTOGRAFA O INTERIOR DAS ONDAS



Clark Little, um antigo surfista de 39 anos, desde há dois anos que ganha a sua vida com a venda das fotos que faz no interior das ondas.
Tudo começou com o pedido de sua mulher que pretendia decorar a casa que possuem, no Hawai, com algumas imagens do mar.
E, de tal modo ele se entusiasmou, como fotógrafo, que diz: «Amo aquilo que faço porque o mar é a minha segunda casa. Em mim não há a sensação de encarar este trabalho como uma obrigação.»
Para obter as melhores imagens ele usa uma câmara que permite obter até dez imagens por segundo.
As ondas em que entra variam entre os 0,90 m. e os 4,50 m. e, por vezes, a força das mesmas é tal, que o arremessam a 10 m. de distância do local inicial.
«Claro que sempre existe um certo risco para mim – afirma ainda Little – mas é a experiência de surfista que já tenho, que me deixa à vontade para enfrentar as ondas.»

E digam lá, leitores, se a beleza destas fotos não os leva a pensar que, em boa hora a mulher fez o tal pedido ao marido?
Por mim, acho qualquer delas uma maravilha!
(Recebido num mail, enviado por um amigo, a quem agradeço.)
M.A.

01/08/11

FRASCOS CHINESES PARA TABACO OU RAPÉ




Abre este post uma foto que fiz, algum tempo atrás, no Museu do Oriente, em Lisboa e, que mostra alguns dos frascos de rapé, de uma colecção doada por Manuel Teixeira Gomes. Sei que outra parte desta colecção, ( 88 frascos) está em Coimbra, no Museu Nacional Machado de Castro. Diz-se, que o conjunto reunido por este senhor constituía a segunda maior colecção da Europa.
Para quem não se recorde, o mencionado coleccionador foi o nosso 7º. Presidente da Primeira República (27-05-1860/18-10-1941).


Segundo apuramos a introdução do tabaco, na China, terá sido feita pelos viajantes da Europa Ocidental, na segunda metade do Século XVI. Fumar tabaco era, então, ilegal mas, uma vez moído e usado inalado, considerava-se que deste modo… os seus fins eram medicinais!

No princípio, seria guardado em caixas mas, dado o efeito que a humidade produzia nele, passaram a utilizar frascos por eles permitirem uma melhor conservação. Alguns deles tinham até, presa à tampa, uma pequena colher para retirar o pó do interior.


Esta moda do uso do “pó de inalar” difundiu-se rapidamente entre as classes elevadas, tornando-se mesmo um hábito de cortesia a oferta da pitada de tabaco à visita que chegava.

Assim, estes frascos foram-se tornando cada vez mais sofisticados, transformando-se, a pouco e pouco, em pequenas obras de arte. Os materiais escolhidos para o seu fabrico foram, desde o vidro vulgar ao cristal mais fino, passando por variadas e coloridas pedras e porcelanas, metais preciosos, etc. Foram, igualmente, motivo de inspiração para muitos artistas, que os decoraram com desenhos, pinturas, esmaltes, elaborados trabalhos de cinzel, etc., etc.


video



Ficou famosa uma importante colecção que reuniu mais de 1700 destes frascos, avaliada em 20 milhões de libras, pertença do casal George e Mary Bloch,. Em Maio de 2010, o jornal inglês Sunday Times anunciou a sua venda, dividida em dez leilões, que se prolongariam por cinco anos. O primeiro lote, composto por 140 frascos, estimou-se então em 250 000 libras.


Porque me chegou às mãos este vídeo, sobre o assunto em questão, resolvi partilhá-lo convosco. Oxalá tenham gostado.M.A.
Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização