Como tudo começou

09/05/08

IGREJA DA SANTÍSSIMA TRINDADE, EM FÁTIMA


Foi inaugurado, no dia 12 de Outubro de2007, integrado nas comemorações do 90º Aniversário das Aparições, este novo Templo, que pelo tamanho que tem, ficou a ocupar o 4º lugar mundial.
Aproximamo-nos desta Basílica sem sentir nela nenhuma imponência dado que, parte da sua construção está no sub solo e, a sua altura visível é apenas de cerca de 15 metros . É uma edificação de forma cilíndrica, feita com pedra da região, apenas quebrada diametralmente por uma estrutura que se prolonga sobre e, para a frente, da porta principal. O acesso ao interior faz-se por 13 portas em bronze, sendo uma, maior que as outras, simbolizando Deus e, as demais, dedicadas a cada um dos doze apóstolos.


Ainda no exterior, a nossa atenção volta-se para um imponente crucifixo colocado à nossa esquerda. É uma peça super estilizada, de 34 m de altura, em aço corten e, foi seu autor um alemão de nome Robert Schad. Esta cruz, substituiu aquela outra denominada Cruz Alta, que durante anos serviu de ponto de encontro aos peregrinos e que, está agora no Santuário de Cristo Rei, em Almada.. Perto há também algumas estátuas de que não irei falar hoje.



Quando nos encaminhamos para a entrada damos conta que algo “esvoaça” sobre nós. Três ou quatro “véus” presos pelos cantos, formam como que um dossel, translúcido. Neles se conjugam Anjos e sombras e podemos ler a frase “VENITE ADOREM” ( Vinde e Adoremos).É criação da cipriota Maria Luizidou. O Sol ajuda a criar efeitos lindíssimos neste conjunto e, esta fotógrafa amadora, deixa-vos aqui, disso, uma pálida amostra…


A Porta Principal é constituída por 4 folhas inteiras de bronze, com 2m x 8m.cada. Ladeiam-na dois Painéis em vidro com 14m x 4m, onde, em 25 línguas estão gravados os textos principais da História Sagrada, relativos à Santíssima Trindade. Sobre os vidros estão placas de cobre, com gravações de Pedro Calapez, relativas aos 5 Mistérios do Rosário.





Uma vez dentro da nave, somos invadidos por uma agradável impressão de luz, espaço, harmonia e, sobretudo, simplicidade de formas. Como nota forte de cor, vemos apenas um painel de 500 m2 por trás do altar. Direi que, neste momento, somente senti falta de um fundo musical que ajudasse a uma mais perfeita conjugação destes elementos. O painel a que me referi é em ouro e terracota, denomina-se “Chamamento Universal da Igreja” e é seu Autor o Padre Jesuíta esloveno Marco Ivan Rupnik. Não vou pormenorizar o tema, para não alongar este relato. À esquerda está uma escultura da Virgem, com 3 m de altura, em mármore de Carrara , cujo autor foi Benedetto Pietrogrande, de Itália. Ao centro, suspenso sobre o altar-mor vê-se um Cristo, em bronze, com 7,5 m. Sua autora a irlandesa Catherine Green. Como nota especial quero dizer que, embutida no altar mor, está uma caixa em prata, contendo um fragmento de pedra do túmulo de S. Pedro. Foi oferecido por João Paulo II, em Março de 2004, apenas um mês depois do início das obras desta Igreja.
Curiosamente não há degraus, o pavimento vai inclinando em direcção ao altar e, os assentos , colocados em semi círculo, permitem uma visão perfeita a quem ocupe qualquer deles. Dizem-nos que há 8.633 lugares sentados e ainda 79 destinados a deficientes. A acústica mereceu também uma atenção especial.
O tecto, tem uma cobertura de painéis em tecido que criam uma luminosidade agradável. É privilegiada a luz natural e, um sistema computorizado permite mudar a sua incidência para diferentes lugares e escolher a intensidade mais adequada. A propósito, lí, que o Arquitecto Alexandros Tombazis , autor desta obra disse : _”Um projecto de uma Igreja tem 10% de espaços e 90% de espiritualidade e, na espiritualidade, a luz é fundamental”. Achei bastante curioso este seu conceito de arquitectura e, identifico-me com essa mesma ideia.
Retornando ao exterior temos, defronte, o complemento da Basílica a que chamam Reconciliação. É o espaço destinado à recepção dos peregrinos. Trata-se de um conjunto de três capelas , uma sala de convívio, confessionários e zonas de circulação. .Aqui, podemos admirar, de Siza Vieira, um painel de azulejos dedicado a S.Pedro e S.Paulo. Do lado oposto ao painel, dois espelhos de água, a céu aberto, são denominados Baptismo e Criação.
Num apontamento deste género, tive que resumir tudo quanto vi e estou a compartilhar convosco. Se vos despertei interesse em lá irdes, pelo menos, já levareis alguma informação e, assim, a vossa visita tornar-se-á um pouco mais completa.

M.A.

1 comentário:

Fatima disse...

Vou tentar visitar brevemente.

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização