Como tudo começou

25/10/08

Dia do Sapateiro - 25/10

Bandarra - Poeta e Sapateiro de Trancoso

Esta é sem dúvida uma profissão em vias de extinção. Resta-nos o consolo de ainda haver alguns espalhados por Portugal.

Os meus sapatos ainda são tratados por um sapateiro à antiga. Cose solas à mão, engraxa , coloca os reforços nas biqueiras das botas e dos sapatos, dá opinião sobre os materiais ,se vale ou não a pena reparar, pinta, troca os saltos, enfim um sem número de possibilidades que apenas são dadas por quem sabe da arte.

O Sr António, Alentejano, vive perto da oficina. O cliente sabe sempre onde o encontrar nem que para isso ande uma meia dúzia de metros até à sua casa.

Gosta do que faz, trabalha com gosto, ele e o seu companheiro de sempre, um pequeno rádio, fazem daqueles 5 metros quadrados um cantinho aprazível, um local de encontro.
Muitas da famílias Portuguesas têm no seu historial um sapateiro.

fc

9 comentários:

Clotilde disse...

Havia em Algés na Rua Luis de Camões - Pátio Bandeira um sapateiro que me ajudou muitas vezes a andar - tenho os pés chatos e ele lá ia consertando os sapatos que não me magoavam. Depois colocaram lá um portão e o Senhor Sapateiro foi-se embora e agora ando o que se diz "aos caídos".
Clotilde

Gi disse...

Lembro-me de um em Santo Amaro de Oeiras, que também vende sapatos, lembro-me de um sapateiro existente na Estação do Cais do Sodré e agora, estes nos centros comerciais.

Laura disse...

Sapateiro mestre da arte do sapateado...arranjado,portugal tem artesãos bons, mas dão-lhes cabo do emprego e do ganha pão... Os que eram exímios na arte já se foram e os novos pouco aprendem que as novas maquinetas fazem tudo e tornaram tudo mais fácil... tenho um sapateiro e por falar nisso lembrei-me que o meu filho antes de se ir embora me pediu que fosse à sapateira (sapateira mesmo ao pé do mercado lá em cima e foi minha vizinha uma moça querida...) buscar a sapatilha que ficou a remendar..olha que se não fosses tu esquecia-me dela e ele que tanto me recomendou...Segunda já lá dou um salto e aproveito para dar ao pernil que está enferrujado de mal sair de casa. Um abraço e um beijinho da, laura..

Patti disse...

Também já estive aí, ao pé do Bandarra em Trancoso. E Trancoso é magnífico.
Sapateiro, tinha um em Lisboa, que com o lápis que trazia atrás da orelha, assentava os nomes na sola do sapato.

M.A. disse...

Pois, Clotilde amiga, também eu era cliente deles. Digo deles porque primeiro foi um senhor de idade que, ao reformar-se, passou o quiosque pré-fabricado onde trabalhava a um outro, mais novo, igualmente competente e simpático. Agora restam-nos os dos centros comerciais que até têm aqueles bancos altos onde nos sentamos descalças, enquanto se coloca a capa que saltou do salto de algum dos nossos "chapins".

Fatima disse...

Tenho que vos dizer onde fica o meu.....
Não tem cadeirinhas mas é um profissional excelente.

EmmaTheias disse...

Pois! Mas agora com sapatos de borracha, que fazem mal aos nossos pés, nem os sapateiros mais experientes nos safam!
As minhas ricas botas de cabedal, compradas numa sapataria "tradicional" de Évora (que já não existe), vou usando com todo o cuidado, não vá estragá-las e depois... não tenho quem mas arranje. Felizmente eu própria sei um poucoxinho e lá me vou desenrascando...

pedro oliveira disse...

Então foi o meu dia também.Eu fui sapateiro nas minhas férias grandes desde os 12 aos 17 anos.Verdade, até sabia dar pontos nas solas e tudo.

Fatima disse...

Este blog é um sortudo! Até tem comentários de uma sapateira e de um sapateiro!
Emma, Pedro, e os demais que por aí andam escondidos, o saber não ocupa lugar, verdade?

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização