Como tudo começou

07/11/08

UM OLHAR SOBRE MOTAS ANTIGAS EM PORTUGAL


A moto, designação comum de motociclo ou motocicleta, segundo a designação oficial do Código da Estrada, terá surgido há pouco mais de cem anos. Mas é praticamente impossível dizer quem inventou ou quando foi criado o primeiro modelo fiável deste veículo que, actualmente é tão apreciado.

Sabe-se que por volta de 1880, os franceses Bouton e De Dion ensaiaram, com resultados muito animadores a aplicação de uma pequena máquina a vapor num triciclo, tendo o veículo atingido uma velocidade de 30 Km/h. E que, em 1885, o alemão Gottlieb Daimler (1834 -1900) - o que esteve na origem da Daimler “Mercedes” Benz – criou o Einspur, um engenho apontado por alguns autores como a primeira moto, montando um motor de explosão inédito, leve e
compacto, numa estrutura de madeira semelhante a uma bicicleta. Apesar de ter alcançado os 12 Km/h no percurso de Constat a Untertürkheim, na verdade esta máquina serviu, sobretudo, para experimentar um motor sobre rodas e não para concretizar um motociclo.

Outras experiências se seguiram até que em 1892, nascia a Hidebrand & Wolfmuller, considerada por muitos historiadores como a primeira fábrica de motociclos. Mas o sucesso foi efémero pois a empresa acabou em 1897. James Norton começa também a produzir motos m 1901.

Em Portugal, “embora haja referência de uma apresentação da primeira bycicleta automóvel pelos estabelecimentos João Garrido, do Porto, em 1894, não se conseguiu detectar com rigor qual a primeira moto que terá aparecido no nosso país”, dizem os autores – João Lopes da Silva, coordenador, Pedro Pinto e João Seixas – de Motos Antigas em Portugal.

Pelo menos em 1899 existia uma moto em Portugal a de D. Afonso, irmão de D.Carlos.
Mas, no início do século, por certo que existiam em Portugal mais motos para além da do príncipe, pois entre os entusiastas dos veículos motorizados, estas máquinas despertavam o maior interesse. Um deles, Tavares de Mello, fundador da firma que mais tarde seria a Auto Industrial, não só bateu o record Porto-Lisboa numa motocicleta, como chegou a construir motos da marca Tavares.

Com a implantação da República, redobrou o interesse por estes veículos. Assim, enquanto que em 1910 foram importadas apenas 5 motocicletas, dois anos depois esse número ascendeu a 385, apesar do valor médio de cada moto rondar os 175$00, quando um trabalhador rural ganhava cerca de 9$00 por mês. Este entusiasmo esmoreceu durante as duas Grandes Guerras, o que permitiu a alguns apaixonados a constituição de notáveis colecções, reunindo belíssimos exemplares.

1- O Dr Tavares de Mello, um dos pioneiros do motociclismo em Portuga
2- Modelo de 1 cilindro, Peugeot, 1907
3- Criação da Wanderer, 2 cilindros e 400 c.c., 1911
4- Douglas, 1922, modelo TT, 1 cilindo e 275 c.c.
5- Triumph, 1916, com side car, 1 cilindro de 550 c.c.
6- A mítica Harley-Davidson 17 J , com side-car, de 1919
7- A Rapid C , dois cilindros e 1000 c.c. 1954
8- Falcon da Guzzi, 250 c.c. num cilindro, 1939

Excerto e fotos de artigo publicado na revista do Club do Coleccionador.

M.A.
























3 comentários:

EmmaTheias disse...

ai, que maravilha!
Também quero...

Carla Silva e Cunha disse...

Muito original...voltarei


http://www.arte-e-ponto.blogspot.com

M.A. disse...

Para Carla Silva e Cunha:
E será com prazer que o Simecq Cultura a receberá de novo.

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização