Como tudo começou

05/12/08

Parabéns Dr Gonçalves Isabelinha pela passagem do seu 100º aniversário


Joaquim Gonçalves Isabelinha Nasceu em Almeirim a 5 de Dezembro de 1908. Um grande médico, um talentoso desportista, mas, acima de tudo, um homem de uma generosidade incomparável. Amigo de conhecidos e desconhecidos. Conhecido como "o pai dos pobres", deixou o consultório há quatro anos mas continua a ajudar quem lhe pede auxílio. Continua atento às notícias nos jornais, tem sempre dois livros na cabeceira e um bolso cheio de rebuçados.
Na “cidade dos doutores” o seu jeito para a prática do futebol atinge o expoente. A par do curso jogava na Académica, de que é um dos sócios mais antigos. Chegou a defrontar o Porto e o Benfica em jogos amigáveis, pois à época a Académica ainda não disputava o campeonato nacional. Diz que o tratavam por “adversário amigo”. A ligação afectiva a Coimbra foi cimentada pelo nascimento dos seus filhos nessa cidade.
Mas foi também durante a sua estada em Coimbra que ocorreu um dos grandes dramas da sua vida. estava-se na quadra natalícia, andava Joaquim Isabelinha no segundo ano do curso. Na antevéspera de Natal falece a sua mãe e passados doze dias, na véspera de Reis, morre o pai. Acontecimentos nefastos obrigaram-no a tomar decisões que definiram o curso da sua vida.
O então estudante de Medicina assume que não tem jeito para os negócios e decide continuar o curso. Do património deixado pelos pais faz questão de não alienar nada. Recorre a um empréstimo bancário para financiar o resto do curso. Depois de três anos e meio de especialização em Oftalmologia, tirada em Lisboa, assenta arraiais em Santarém. Em 1940 ele e Rui Puga eram os únicos especialistas da área em Santarém. Prestou também serviço no hospital da cidade.
Entendeu sempre a medicina como um sacerdócio. Era frequente aparecerem-lhe no consultório do Largo do Seminário pacientes sem posses para pagar a consulta. Joaquim Isabelinha nunca negou os seus préstimos a ninguém. Quem não podia pagar era assistido gratuitamente. A sua faceta de benemérito, reconhecida pela comunidade, levou-o durante anos a distribuir dinheiro por pessoas carenciadas da sua Almeirim natal, onde tem nome de rua, tal como em Santarém.

3 comentários:

M.A. disse...

São estes os portugueses em que eu acredito! Cumprem a sua missão sem alarde, sem os focos da TV por perto, ou os jornalistas por companhia permanente. Quanta e quanta gente estará neste momento agradecida pelo que recebeu deste médico? Acredito que, nesta altura da sua vida, este homem possa realmente dizer: "Missão cumprida"! Sei que no proximo dia 8 lhe será prestada uma justa homenagem. O Simecq.Cultura associa-se a ela e deseja ao Dr. Isabelinha ainda muitos anos de vida, como exemplo a seguir pelos mais novos.

EmmaTheias disse...

... gostei dos rebuçados no bolso!

Há gente de nível que, com o seu exemplo de vida, nos dá que pensar na nossa pequenez.
Um "bem haja" para o Dr. Isabelinha!

Fatima disse...

Ainda há bons exemplos.
E estes homens nunca são referidos nos media e é pena.

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização