Como tudo começou

21/09/13

CZARDAS DI MONTI




Vittorio Monti foi um compositor e maestro italiano nascido em Nápoles em 6 de Janeiro de 1868 e falecido no dia 20 de Junho de 1922.
Estudou música no Conservatório di San Pietro a Majella e, mais tarde, fixou-se em Paris, já como condutor de orquestra.
Cerca de 1904 escreveu uma inspirada música que intitulou de Czardas, talvez aquela  que mais fama lhe deu no mundo inteiro e que, quando alguém a nomeia sempre lhe acrescenta o nome do seu autor. É que czardas há muitas mas, as  Czardas de Monti são realmente uma peça única que, uma vez ouvida  ninguém  mais esquecerá.

Elas estão, até, ligadas à minha infância, com um episódio um tanto curioso.
À época, o  nosso tempo de praia era  passado na Figueira da Foz e o  meu pai gostava muito do café que era servido no chamado “Casino Oceano”, instalado num lindo edifício do centro do Bairro Novo, o qual há dois anos atrás ainda lá encontrei e gostei de rever.  Nesse café havia um quarteto (ou quinteto?) onde actuava um  saxofonista de muita qualidade.
Acontece que, um certo dia, o meu pai me encarregou de ir, junto dos músicos,  com um pedido seu para  que tocassem as Czardas de Monti e, não tardou muito, que o pedido fosse satisfeito, com muito agrado nosso e creio que dos restantes assistentes. Depois, em todos os dias que se seguiram, mal a nossa família ali entrava, pouco depois  soavam os acordes da mesma música. O mistério desta contínua deferência foi explicado, um dia, por um dos empregados de mesa:
-Ao que parece, o meu pai teria algumas semelhanças físicas com o, na altura,  embaixador português em Marrocos e por essa entidade o haviam tomado, procurando assim homenageá-lo sempre que nós chegávamos.
Bom, mas esta pequena história serviu  apenas como aperitivo de uma maravilhosa interpretação das Czardas de Montique  hoje vos trago e que também ouvireis ao clicar aqui.
Tem a particularidade de ser magistralmente executada por doze pianistas mas que, imaginem, usam um só instrumento !
A música é uma das artes infinitamente versátil e somos surpreendidos, por vezes, com  as mais variadas interpretações. Esta é mais uma das mais curiosas que tenho visto  mas que  não interfere nada com a qualidade que se deseja. Ouçam, pois e digam de vossa justiça, leitores.

M.A.  

2 comentários:

Quica disse...



É uma das minhas músicas preferidas.

Esta forma de tocar as Czardas de Monte é muito original, só grandes pianistas é que conseguem tirar partido de um único instrumento.

Rosalvo Almeida disse...

A música é a melhor linguagem para unir os povos

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização