Como tudo começou

06/02/08

FERNANDO PINTO DO AMARAL Prémio GOYA - CARLOS DO CARMO

Por gentileza do Autor recebemos hoje a letra do Fado que trouxe

para o nosso País o Prémio Goya. Aqui a deixamos para os nossos

leitores interessados.

M.A.

FADO DA SAUDADE (Versículo – Fado Menor)

Fernando Pinto do Amaral


Nasce o dia na cidade / que me encanta

na minha velha Lisboa / de outra vida

e com um nó de saudade / na garganta

escuto um fado que se entoa / à despedida


Foi nas tabernas de Alfama / em hora triste

que nasceu esta canção / o seu lamento

na memória dos que vão / tal como o vento

no olhar de quem se ama / e não desiste


Quando brilha a antiga chama / ou sentimento

oiço este mar que ressoa / enquanto canta

e da Bica à Madragoa / num momento

volta sempre esta ansiedade / da partida

Nasce o dia na cidade / que me encanta

na minha velha Lisboa / de outra vida


Quem vive só do passado / sem motivo

fica preso a um destino / que o invade

mas na alma deste fado / sempre vivo

cresce um canto cristalino / sem idade


É por isso que imagino / em liberdade

uma gaivota que voa / renascida

e já nada me magoa / ou desencanta

nas ruas desta cidade / amanhecida

Mas com um nó de saudade / na garganta

escuto um fado que se entoa / à despedida


2 comentários:

Fatima disse...

Envio um agradecimento muito especial ao Fernando Pinto Amaral, por ter cedido ao nosso blog o privilégio de divulgar o original do poema.
Todos ficámo mais ricos com este contributo!
Um grande abraço
Fátima

M.A.R. disse...

Quem o conhece sabe que para além do seu indiscutível valor intelectual é uma pessoa extremamente simples e afável!
m.a.r.

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização