Como tudo começou

03/05/08

CONVIDO A CONHECER

FLUVIÁRIO DE MORA


Desta vez venho desafiá-los a irem até Mora, no Alentejo, mais propriamente a Cabeção, que fica a cerca de 100 Klm de Lisboa e mesmo ao lado do Parque Ecológico do Gameiro. Iremos fazer uma visita ao Fluviário, que é nem mais nem menos que um conjunto de aquários e espaços envolventes, onde poderemos fazer a viajem entre a nascente e a foz de um rio Ibérico.


Ali teremos oportunidade de observar diferentes tipos de habitats e as espécies animais e vegetais que ali podem viver adaptados ao meio.


Encontramos também espécies já desaparecidas dos nossos rios, como o esturjão outras que, estando perto disso, como o pequeno peixe saramugo, precisam de uma maior atenção do homem para continuarem a existir. Como é evidente todas elas são importantes e necessárias para o equilíbrio dos ecossistemas.


Podemos igualmente encontrar espécies, também de água doce, mas oriundas de outros locais do mundo, como a bacia amazónica, tais como o pacú-negro, a piranha, a anaconda, também conhecida como sucuri. Esta última, quem não se lembra de ouvir falar tanto dela na telenovela “O Pantanal”?…
Dos grandes lagos africanos vieram a enguia-dinossauro, ciclídeos, o peixe gato, etc.


Deixo-vos algumas fotos como aliciante a esta visita a rios e lagos. Gostaria de ter fotografado também as duas lontras que ali estão, chamadas Cristiano Ronaldo e Mariza, mas, a verdade, é que talvez por estarem na hora da sua sesta, não se dignaram aparecer.
O Fluviário de Mora foi inaugurado em 21 de Março de 2007, está aberto todos os dias do ano, (das 10 às 19 H. de Verão e das 10 às 17 H. de Inverno) e sabemos que o seu número de visitantes já ultrapassou os 210 mil, o que é bem elucidativo do seu interesse.

M.A.

8 comentários:

António Inglês disse...

Querida amiga Fátima

Desconhecia por completo a existência deste fluviário, e logo em Cabeção onde passei uma vez por outra a caminho da Comenda, perto do Gavião.
Se dele tivesse conhecimento por certo tê-lo-ia visitado, mas descanse que não perde pela demora.
Estou-lhe grato por me ter dado a conhecer este espaço que muito interessante deve ser.
Um óptimo domingo, e um beijinho
António

Gi disse...

Bem que gostava, mas as bichas (filas) são mais que muitas :(

Fatima disse...

Amélia a menina é tiro e queda. Visitou, postou!
António, siga o conselho da Amélia e visite este espaço. Está muito bonito e muito bem enquadrado. Eu visitei o fluviário logo nos dias seguintes à abertura (ainda não existia este blog), e gostei muito.
Gi as filas agora são pequenas, e para ti que és uma madrugadora, não haverá com certeza problema!
Tens lá bons sítios para petiscar, para caminhar, para contemplar.

M.A.R. disse...

Já agora, deixo-vos uma dica em relação à visita. Como chegamos ao Fluviário, ao fim da manhã, compramos logo os bilhetes de ingresso. Depois seguimos para Mora onde almoçamos. Quando voltamos havia efectivamente muita gente em fila, até porque era um feriado, mas, dado que já tínhamos os bilhetes connosco, não houve demora nenhuma na entrada.

Anónimo disse...

Mais uma informação preciosa. Logo que seja possível, irei ver esse Fluviário. Obrigada Amélia.

Gi disse...

Boa dica, Amélia ;)

Fernando disse...

Vale mesmo a pena visitar.
E divulgar.
Não é o espectáculo de um Oceanário
mas é,porventura, mais instrutivo.
Uma pena que as focas-Cristiano e Marisa- estivessem a dormir a sesta.

Ana Pais disse...

Já ouvi falar e inclusivé já cheguei a fazer planos para ir lá com o meu filho.
Vou ver se o tempo não volta a ser "impeditivo".

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização