Como tudo começou

20/01/09

FALANDO DE MÚSICA

A música (do grego μουσική τέχνη - musiké téchne, a arte das musas) é constituida basicamente por uma sucessão de sons e silêncio organizada ao longo do tempo. É considerada por diversos autores como uma prática cultural e humana. Actualmente não se conhece nenhuma civilização ou agrupamento que não possua manifestações musicais próprias. Embora nem sempre seja feita com esse objectivo, a música pode ser considerada como uma forma de arte, considerada por muitos como sua principal função.

A música expandiu-se ao longo dos anos, e actualmente diversificou-se não só como arte, mas também como militar, educacional ou terapêutica (musicoterapia). Além disso, é parte integrante em diversas actividades colectivas, como os rituais religiosos, festas e funerais.

A música é conhecida e praticada desde a pré-história. Provavelmente a observação dos sons da natureza tenha despertado no homem, através do sentido auditivo, a necessidade ou vontade de uma actividade que se baseasse na organização de sons. Embora nenhum critério científico permita estabelecer o seu desenvolvimento de forma precisa, a história da música confunde-se, com a própria história do desenvolvimento da inteligência e da cultura humanas.

(Dados retirados da Wikipédia)

No meu dia a dia já seria difícil prescindir da música e, mais do que saber explicá-la, interessa-me principalmente poder escutá-la, senti-la e usufruir dela tudo aquilo que ela tem de sublime para nos transmitir.

Um pouco do mesmo jeito com que a água nos deixa o corpo lavado, assim o meu espírito fica depois de escutar um qualquer trecho musical dos vários que conheço e aprecio.

Com grande pena minha ainda não tive oportunidade de ir assistir a um concerto na “Casa da Música do Porto”. Quando isso acontecer, por certo trarei o assunto ao blog.

Entretanto, deliciem-se com este vídeo que nos mostra belos planos desta casa de cultura nortenha.


video

M.A.

5 comentários:

Goldfinger disse...

Olá Fátima

Bom dia. Isto não se faz logo de manhã. Falar de música, da Casa da Música do Porto, da Casa de Cultura Nortenha e demasiado para quem morre de saudades do Alto Minho.
Mas, estou resignado, tenho de andar por aqui, sabe Deus até quando.
Um bom dia para si e para todos aí Simecq, onde prometo um dia irei visita-la.

Um abraço

pedro oliveira disse...

tive e tenho o previlégio de frequentar a SAMP(www.samp.pt)em que o director pedagógico é o Professor Paulo Lameiro,impulsionador do concerto para bebés em Portugal. O Projecto berço, entre outros ,tem como missão envolver pais e filhos para as artes.No topo deste projecto estão os piccolinis filarmónicos onde pais e filhos cantam e tocam, tivemos há 3 anos o privilégio de visitar a casa da música e de ir actuar a uma das salas, foi fantástico.

Rosa M. disse...

Também não conheço. Mas eu também adoro a música. É pena não ter tido uma educação musical para poder apreciar ainda mais.
Jinhos.

M disse...

Não conheço a Casa da Música, mas a música faz parte da minha vida, do meu dia a dia, de todos os meus momentos... não faço nada sem estar a ouvir música... mesmo em pequeno só conseguia concentrar-me para estudar a ouvir música... se me deixassem ouvir música durante os testes neste momento já era doutor :)

Bjos

Quica disse...

Também gostava de conhecer esse espaço músical, tenho assistido na TV a comentários sobre a arquitectura do edifício e os vários concertos que por ali se realizam.

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização