Como tudo começou

04/07/08

RAINHA SANTA ISABEL

clique para aumentar

Hoje 4 de Julho é o dia dedicado à memória da nossa Rainha D. Isabel de Aragão, mulher de D.Dinis, mais conhecida por Rainha Santa.
D. Isabel nasceu em Saragoça (?) cerca de 1270 e faleceu em Estremoz a 4 de Julho de 1336. Filha dos reis de Aragão, casou com D. Dinis em Trancoso a 26 de Junho de 1282. Tinha o rei português sido recomendado em 1280 ao rei de Aragão, por Filipe III de França, interessado em apaziguar os reinos de França e da Península Ibérica, desavindos uns com os outros. Esta rainha mediou o conflito entre D. Dinis e o infante D. Afonso (1287 e 1299) e entre Jaime II de Aragão e Fernando IV de Castela (!300 e 1304). Ajudou na fundação de conventos, fundou o Mosteiro de Santa Clara de Coimbra e o Hospital dos Inocentes em Santarém. Devotada à prática incessante de obras de misericórdia, já em vida o povo lhe chamava “Rainha Santa”. É conhecido de todos nós o episódio de o pão e outras dádivas que levava no regaço se terem transformado em rosas quando D. Dinis a interpelou no seu caminho até junto dos pobres. Viúva em 1325, sabe-se que doou todos os seus bens a obras de caridade, vestiu o hábito de clarissa e passou a viver junto ao seu mosteiro de Coimbra. É lá também que se encontra sepultada.
Faleceu quando ia tentar mediar o conflito entre D. Afonso IV de Portugal, seu filho e Afonso XI de Castela, seu neto.
Canonizada em 1625, a sua memória litúrgica celebra-se, como dissemos na abertura deste apontamento, a 4 de Julho.
Lembremos pois esta nossa Rainha que marcou, quer no aspecto social, quer em intervenções políticas, uma posição relevante na História de Portugal.
A foto que mostramos apresenta a Rainha Santa Isabel num quadro talvez pouco divulgado. Ela está em traje da corte e mostra nas suas mãos algumas rosas. Trata-se de um óleo de Francisco de Zurbarán e podemos ver este quadro no Museu do Prado, em Madrid.

( Alguns elementos e foto encontrados em “Reis e Rainhas de Portugal” de Manuel de Sousa.)

M.A.

3 comentários:

Francisca disse...

Um exemplo de vida. Há mais santas que não são rainhas e que não ficam conhecidas na nossa história, mas que também são um exemplo para todos nós.

Laura disse...

Que lindo e menina, há dias lembrei-me d epostar sobre ela, pois admiro-a muito e foi uma grande mulher e é muito venerada no Brasil também, talvez mais que aqui...e quando vou a Coimbra so quero visitar uma Igreja onde ela está, ma so tempo não tem permitido, quando regresso são mais que horas de vir para casa, mas hei-de ir um dia ver o que quero. Beijinhos...da laura.

Fatima disse...

O milagre do pão está a fazer falta não tarda nada!

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização