Como tudo começou

08/01/09

AS SETE COLINAS DE LISBOA


Cristóvão Rodrigues de Oliveira na sua estatística de 1551, descreve o recorte das colinas lisboetas, apontando quatro elevações dignas de destaque especial: São Vicente, Nossa Senhora do Monte, Nossa Senhora da Graça e Santo André.





Mais tarde Damião de Góis descreve cinco colinas com a designação de: Nossa Senhora do Monte, Castelo, Santana, São Roque e Santos. Assim ficaram até ao século XVIII, quando Frei Nicolau de Oliveira, no livro Grandezas de Lisboa, compara a capital portuguesa à cidade de Roma, mencionando pela primeira vez os sete “montes” [sic] hoje célebres: São Vicente, Santo André, Castelo (São Jorge), Sant'Ana, São Roque, Santa Catarina e Chagas (Nossa Senhora da Piedade das Chagas). Ligeira variante com Santo André a assimilar geograficamente a Graça e a Senhora do Monte de São Gens.

Escreve:” A cidade de Lisboa é a maior da Europa em grandeza, comércio e negócios; e, por conseguinte, a maior de todas as cidades do mundo; por causa da grande capacidade do seu rio”.

Isto,é o que nos conta Marina Tavares Dias na sua obra “Lisboa Desaparecida” e, como também nos mostra cada um dos oragos das sete colinas de Lisboa, achei interessante trazê-los, igualmente, ao conhecimento dos leitores. As imagens apresentam-se pela ordem do texto.
M.A

2 comentários:

Gi disse...

Muito interessante!

Fatima disse...

Amélia espero que essa gripe já tenha ido embora.
Obrigada por mais este pedaço de história.

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização