Como tudo começou

16/02/09

JUSTIFICAÇÃO DE BÊBADO:

Offerecendo-se vinho em certa occasião a um chapado borracho, exclamou elle: venha de lá já, agora e logo, e mais; venha hoje, ao depois, sempre e sem nunca cessar. E se bem dizia melhor o fazia.
Querendo depois justificar-se perante o confessor, que o reprehendia do excessivo amor que tinha ao vinho e ao abuso que delle fazia, respondeu-lhe: _Meu padre, o bom vinho faz o bom sangue; o bom sangue produz bom humor: o bom humor leva-nos aos bons pensamentos: os bons pensamentos persuadem as boas obras: e as boas obras abrem as portas do céo.

Retirado do livro «Gente do Campo», de 1870. Conservada a grafia usada no livro)

M.A.

4 comentários:

mjf disse...

Olá!
Boa argumentação...
O importante era defender o seu ponto de vista
eheheh


Beijocas

pedro oliveira disse...

eheheh, o que importa é nunca perder o tino!!!!

Quica disse...

O vinho nessa época devia ter outra graduação.
Já tenho visto alguns com um humor muito negro.

Fatima disse...

Venha o copo, venha o vinho,
venha mais meia canada:
eu cá sem copo não bebo
e, sem vinho, não sou nada!

O vinho é coisa boa,
que nasce da cepa torta:
a uns faz perder o tino,
a outros errar a porta.

Quando me dói a cabeça
e me quer cair ao chão,
bebo mais uma pinguinha,
quer ela caia, quer não.

O vinho das nossas cepas
não é vinho, é licor:
e bebe-se, com prazer,
até no altar do Senhor!

Cantigas do Grande Cancioneiro do Alto Douro
aps

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização