Como tudo começou

04/06/09

EM 1910 ASSIM SE IMAGINAVA O ANO 2000…

A Biblioteca Nacional de França tem uma impressionante colecção de gravuras feitas em 1910 que retratam como seria a vida no ano 2000.
Achei curioso trazê-las aqui ao blog:

Os bombeiros voariam...

Os sapatos teriam motor...

Os barbeiros seriam robots...

Os carros voariam...

As mensagens seriam fonográficas...

Existiriam drive-in para «carros voadores»...

Os jornais seriam escutados e não lidos...

Existiriam video conferências...

As obras seriam executadas por robots...

Os alunos não usariam livros, iriam ouvi-los de acordo com a vontade do professor. (Observe a animação do auxiliar)

Fabricar roupas seria também muito fácil...

Imagino que, quem nos lê, esteja com um sorriso nos lábios. É sempre interessante ver coisas deste género, com um certo distanciamento no tempo. Até breve, com outro assunto qualquer.

M.A.

8 comentários:

Fatima disse...

As coisas que já sabiam nesse tempo...
Os sapatos voadores eram uma boa alternativa ao skate....

EmmaTheias disse...

simplesmente genial!!!

Há coisas que não fogem da realidade de hoje.

As ilustrações são lindas!

Quica disse...

Essa dos carros voadores, até dava jeito em hora de ponta na 2.ª circular e na IC 19.

Clotilde disse...

Muita coisa já não é só imaginação daquele tempo.
Muito interessante.
Clotilde

pedro oliveira disse...

interessante será fazer o mesmo paar o ano 2100.
A imaginação do Homem comanda a vida e ainda bem.

Malay disse...

Está um mimo. De facto, a imaginação não tem limites.

Sónia Pessoa disse...

Muito interessante mesmo. De acordo com o Pedro, pergunto-me como vemos nós a vida daqui a cem anos?... assusta até de pensar... beijinhos amiga Fátima

sónia disse...

Que espanto de gravuras! Muito interessante e óptimo para fazer um trabalho com os alunos. Já me deu ideias, mas agora só para o próximo ano lectivo.
Gosto da gravura da sala de aula, vá-se lá saber a razão...

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização