Como tudo começou

21/03/09

AVENTURAS DO PINÓQUIO


Esta obra da literatura infantil é do escritor italiano Carlo Lorenzini, sob o pseudónimo de Carlo Collodi. Apareceu primeiramente publicada em capítulos num jornal infantil italiano, entre Julho de 1881 e Janeiro de 1883 e, depois, em livro, ainda no ano de 1883.

Desde a sua publicação que a história do Pinóquio foi logo traduzida para os diversos idiomas. No entanto, a versão mais famosa terá sido a sua adaptação ao cinema , em 1940, pelo genial Walt Disney. Penso que este filme foi considerado mesmo uma obra prima do cinema de animação e o seu encanto perdura ainda em todos nós, chegando mesmo à gerA história do boneco de madeira feito pelo marceneiro Gepetto e que mais tarde se vem a transformar num menino de carne e osso é por demais conhecida, por isso, me dispenso de a pormenorizar aqui.
Se me lembrei de vir falar hoje no assunto foi porque ouvi há dias, na rádio, que se preparam comemorações para os 70 anos do aparecimento do famoso boneco no cinema de Walt Disney.
Para ilustrar este post fui buscar duas obras de Paula Rego, pastel sobre papel montado em alumínio. Intitulam-se respectivamente Gepetto a lavar Pinóquio e A Fada Azul e Pinóquio ( ambas de 1995).

(Elementos escritos retirados da Net. Imagens, de uma das publicações sobre Paula Rego)
M.A

6 comentários:

EmmaTheias disse...

A história do Pinóquio é para mim um exemplo de que os Sonhos se podem tornar realidade, se lutarmos na direcção certa. Com perserverança, muita vontade e acreditarmos que é possível.
Parabéns ao Pinóquio!

Fernando Pinto disse...

Gostei muito do que vi e li... Abraço do meu LABIRINTO DE OLHARES!

M.A. disse...

Emma Theias:
O Pinóquio agradece os parabéns e o Simecq.Cultura de novo a sua visita.

Fernando Pinto:
Penso ser esta uma sua primeira visita ao Simecq.Cultura. Seja pois muito benvindo a este cantinho, onde esperamos apareça muito mais vezes. Já fui espreitar o seu "LABIRINTO DE OLHARES" e tive uma grata surpresa. Logo vai perceber porquê. Volte sempre.

Clotilde Moreira disse...

M.A.
Hoje é o dia da Poesia. Por isso aqui vai um Poema para a SIMECQ.
Clotilde

Não guardes os sonhos só para ti:
Atira-os ao ar,
deixa que o vento os leve…
e que alguém,
lá longe,
os agarre
e possa também sonhar

M.A. disse...

Clotilde:
Segui a sugestão da autora do poema que,não guardando os sonhos e ao atira-los ao ar na direcção deste blog, permitiu que eu propria os agarrase e pudesse também sonhar.E, na primeira linha deste meu sonho está justamente o desejo de um mundo malhor e mais justo para todos. Será que estou a sonhar... demasiado alto?
Obrigada amiga por nos mandar este mimo. Confesso que não me lembrei da data.

Fatima disse...

Há sempre um ou outro dia
Que nos passa por vezes ao lado
Mas há-de haver um fundamento
Para ser comemorado!

Dizem que a celebração
Hoje, é para a poesia
Ora uma escrita tão bela
Bem merece ter o seu dia!

Com ela se fala da vida
Da amizade, do amor
Com ela se canta e encanta
Haja alegria ou dor.


Obrigada Clotilde!

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização