Como tudo começou

01/03/09

SORVETE FRESQUINHO


Penso que, para muitos dos nossos leitores, este carrinho de venda de sorvetes será mesmo uma novidade. Os outros, que tal como eu se lembrem dele, associam logo o pregão que anunciava a sua chegada: _”Olhó sorvete fresquinho!...» Ao mesmo tempo o vendedor tocava insistentemente a campainha da bicicleta para que, quem estivesse mais afastado, ouvisse também.

A miudagem acorria e os adultos também. Escolhia-se o tamanho do cone de bolacha consoante o dinheiro que se tinha e, depois, o vendedor, lá levantava a tampa em forma de campânula da caixa do creme gelado e, com uma espátula lá ia fazendo a pirâmede colorida dos sabores preferidos. Geralmente só no verão, se viam estes carrinhos; não havia, então, o hábito de comer sorvetes no resto do ano, tal como hoje em dia, em que, em cada canto se encontra uma gelataria, ou pelo menos uma pastelaria com a arca dos gelados.

Fazendo uma breve pesquisa verifiquei que tudo nos leva a pensar que os primeiros sorvetes fossem vendidos em Lx . na chamada “Café da Neve”, fundada em 7 de Janeiro de 1782. Este estabelecimento, pertença de um italiano Domingos Mignani, mais tarde, tornou-se no tão conhecido Café do Martinho da Arcada, ao qual, o nome de Fernando Pessoa ficou ligado também.

«Conta Pinto de Carvalho (Tinop) que Martinho Rodrigues ( então o proprietário do Café Martinho) era o contratador da neve que se consumia na capital em 1810. Tirava-a da serra do Coentral Grande, daí vinha em carros até à Barquinha e, em barcos de agua acima até Lisboa».
Tudo devia ser pois, bastante mais difícil, à época, para que alguém se pudesse deliciar com esta guloseima fresquinha!

M.A.

7 comentários:

pensamentosametro disse...

Lembrança ternurenta que recordo perfeitamente.



Bjos


Tita

mjf disse...

Olá!
Lembro-me perfeitamente, quando saía da escola, lá estava ele...
Obrigada por me trazeres tão boas recordações ;=)


Beijocas

Portaria ILEGAL disse...

Venho-te convidar a fazeres parte de um grupo que considero interessante, visita o blogue: http://portaria-59.blogspot.com/
Beijos da Alexix

Quica disse...

Na minha adolescência adorava gelados, hoje já não me despertam grande interesse.
Tive uns amigos que o pai era dono de uma fábrica de gelados, na casa deles havia de todas as cores e sabores.

Clotilde Moreira disse...

M.A.

Lembro-me e da mulher que vendia na Praia de Paço de Arcos gelados no verão com um balde/geleira à cabeça. Um dia conto-lhe. Mas esta lembrança devia ser posta no Verão. Agora chá e torradinhas.

Clotilde

Ana Oliveira disse...

Boa noite

Poucas vezes comento os Vossos posts, mas aprecio-os muitissimo e acho que este blog serve realmente a cultura.
Por isso Vos deixo no meu blog uns prémios que recebi e que me parecem muito mais adequados aqui.

Um beijo

Ana

Fatima disse...

Ai que saudades!
Em Carcavelos, há um senhor que vende gelados numa viatura semelhante a esta!
Ainda "cola" aquele papelinho por cima e tudo....

Sociedade de Instrução Musical e Escolar Cruz Quebradense

Localização

Localização
Localização